O Instituto Doutor Hemerson Casado e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Alagoas se reuniram, na última terça-feira (4), para discutir projetos em prol dos portadores com doenças raras.

Estiveram presentes o cirurgião cardiovascular e presidente do Instituto Dr. Hemerson Casado, Hemerson Casado, e equipe administrativa; além da secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação de Alagoas, Cecília Hermann Rocha e seus assessores: Charles Gerônimo e Joana Dark.

POLO DE BIOTECNOLOGIA E SAÚDE

Na oportunidade, a pasta declarou apoio à construção do Polo de Biotecnologia e Saúde de Alagoas – empreendimento ainda inexistente na América Latina que será capaz de reunir um Hospital de Doenças Raras, Centro de Reabilitação, além do Instituto Brasileiro de Doenças Raras e Condomínio Industrial para fármacos. O projeto é iniciativa do Instituto Dr. Hemerson Casado.

“O Polo será classificado de acordo com três focos principais: pesquisa, produção e aplicação e deverá representar diversos impactos positivos para o Brasil, como geração de empregos, formação e qualificação de profissionais, desenvolvimento da economia e criação de novas patentes e tecnologias”, adianta Hemerson Casado, ativista e portador da Esclerose Lateral Amiotrófica.

A secretária Cecília Hermann se mostrou lisonjeada com o convite do médico para a parceria e afirmou que não medirá esforços para contribuir com os projetos do Instituto em prol daqueles que mais precisam. “Tenho acompanhado a luta deste guerreiro e de todos que fazem o Instituto Hemerson Casado. Essa causa me inspira. Eu coloco a Secretaria de Ciência e Tecnologia à disposição para contribuir com o que for necessário”.

II SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE ELA

Com o objetivo de continuar deixando o seu legado e contribuir com o avanço de pesquisas científicas em Esclerose Lateral Amiotrófica – doença rara neurodegenerativa que afeta o sistema nervoso e causa paralisia motora progressiva – o Instituto Hemerson Casado solicitou apoio para viabilizar o II Simpósio Internacional sobre ELA.

A segunda edição do evento será realizada em novembro de 2019 e, mais uma vez, vai reunir cientistas do mundo inteiro, cuidadores, portadores e profissionais da área da saúde e afins para discutir os principais avanços em doenças raras. “Precisamos muito do apoio da iniciativa pública para viabilizar o simpósio. Eu estou muito grato e desde já agradeço a Secretaria de Ciência e Tecnologia pela disponibilidade em ajudar”, destaca Hemerson Casado.

Em maio deste ano, Casado viajou para Israel em missão internacional. O ativista integrou a delegação brasileira de pesquisadores que foram convidados para prospectar parcerias em doenças raras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O médico visitou centros de pesquisas e universidades com foco em diagnóstico, tratamento e busca por tecnologias assistivas.

VEÍCULO: 7 SEGUNDOS