Cirurgião cardiovascular será agraciado pela atuação em favor dos portadores de doenças raras

Anne Caroline Bomfim

O ativista e portador da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) Dr. Hemerson Casado vai receber, no próximo dia 7 de dezembro, o Prêmio Alagoas dos Direitos Humanos por seus serviços prestados em defesa da vida e em favor dos portadores de doenças raras. A iniciativa é do governo do estado, através da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh).

Nesta primeira edição, três personalidades – sendo uma em nível nacional – serão agraciadas com a honraria. Além de Casado, a capitã da Polícia Militar Márcia Danielli também será reconhecida pelas suas ações de combate à violência doméstica, por meio da Patrulha Maria da Penha em Alagoas.

Na categoria nacional, o jornalista Caco Barcellos será laureado por produzir matérias jornalísticas e livros em prol dos direitos humanos, bem como por denunciar abusos de autoridades policiais.

O prêmio integra a Semana Estadual dos Direitos Humanos. “Eu estou extremamente feliz e honrado por ser reconhecido pelos meus trabalhos como ativista, em especial à frente do Instituto Dr. Hemerson Casado. É uma luta árdua. A minha missão de vida é ajudar aqueles que mais precisam e despertar no poder público a importância de assistir os portadores de doenças raras, que já são mais de 13 milhões de pessoas no Brasil”, destaca.

Para a secretaria, promover prêmios e ações como essa, que reconhecem a atuação do outro, é dever do poder executivo, das organizações sociais e da sociedade civil. “Com esse reconhecimento, espero contar com o apoio e parceria do governo de Alagoas para manter o instituto Dr. Hemerson Casado de porta abertas. Estamos tentando celebrar convênios com as mais diversas entidades. A luta precisa continuar”, conclui o portador da ELA.

TRAJETÓRIA

Hemerson Casado é cirurgião cardiovascular e foi diagnosticado com ELA há seis anos. Desde então, resolveu dar um novo propósito para sua vida ao lutar pelos direitos dos portadores de doenças raras. Tornou-se conhecido nacionalmente pelo seu ativismo.

Em 2014, fundou o Instituto Doutor Hemerson Casado, uma organização sem fins lucrativos que visa servir a população alagoana e brasileira ao transmitir informações sobre doenças raras e seus tratamentos, bem como lutar pelos direitos desses pacientes ao oferecer orientações sobre benefícios previstos em lei.

O instituto vislumbra construir uma sociedade mais inclusiva através de assistência, educação, pesquisa e desenvolvimento socioeconômico.